Blog do Rodrigo Sacramento na Grécia

novembro 5, 2009

Jantar da Angeliki

Filed under: Viagem para a Grécia — r2s2 @ 3:26 pm

Bom, eu havia esquecido o nome da garotinha, e o Epá me lembrou. Angeliki. Imagino que seja a nossa Angélica, assim como o Yanes deles é o nosso João e o Epaminondas dele é o nosso Clodovil.

Depois do batismo fomos para um restaurante que fica logo atrás do aeroporto. Todos iriam comer a mesma coisa, que já estava sendo preparada antes de chegarmos. Era uma bisteca muito grande e deliciosa e uma pizza mais gostosa que qualquer uma daqui, até que as da Pizza Hut..

O restaurante era na beira da praia, e a lua estava cheia naquela noite. Foi um espetáculo! Pena que as fotos ficaram ruins na praia, mas ainda assim vou postar:

236

Lua de prata

242

Mesa de gregos, vários beijos gregos de despedida

Durante o jantar estava passando o filme “Marte ataca” com legendas em grego. O povo conversou muito, e na hora que a comida chegou, ninguém parou de falar. Foi bem divertido. Eu já conseguia entender grosseiramente sobre o q se falava. Sabia que estavam falando sobre Atenas, mas só isso. Claro, eu ria quando eles riam e chorava quando eles choravam.

Muito gostoso, até a estrela da noite se animou:

240

Angeliki comendo bisteca de pato plástico

Tirei uma foto da entrada e das comidas de entrada:

243

Ao fundo, la mer!

Chegamos em casa lá pelas 2 da madruga. No dia seguinte acordamos cedo e voltamos à igreja para que a Angeliki participasse da comunhão pela primeira vez. Colocam umas gotas de vinho na boca dela (cacófato clássicuzinho) e um pedacinho de pão. Ela gostou. Jesus chorou.

Ah, acenderam a vela nesse dia! E até sei o motivo! Foi para aumentar ainda mais a temperatura lá dentro, de 734ºC para 734,2ºC. Eles nem usaram fogo para acendê-la, só deram um peteleco no pavio.

247

Pínakas, Leonidas e Angeliki na igreja

De lá, eles voltaram para casa e nós fomos conhecer os pontos turísticos de Samos com o irmão do Leonidas e a namorada. Mas isso fica para o próximo capítulo. Só um adianto: muito legal! Vai ter até vídeo!

 

outubro 29, 2009

Batismo

Filed under: Viagem para a Grécia — r2s2 @ 8:05 pm

No sábado fomos batizar a sobrinha do Epá.

Rua da igreja

Rua da igreja

Os gregos são católicos ortodoxos. As igrejas são horroríveis por dentro (e por fora), pois são muito carregadas de figuras e metal em relevo. Na verdade, sempre achei todas as igrejas católicas feias, mas as gregas são insuperáveis. Não adianta ficar falando sem mostrar como é, saca só:

WTF?

WTF?

Igreja ortodoxa grega

Igreja ortodoxa grega

Há, claro, todo um ritual para batizar a criança. O padrinho leva uma vela gigante adornada, bem como uma roupa para o bebê dentro de uma malinha, além de uma toalha. Tudo isso foi comprado em Atenas pelo Anakreon, e levamos para Samos de avião. Imagina como foi um saco levar tudo isso como bagagem de mão!

189

Presentes do padrinho

Bom, do batismo em si eu não tirei nenhuma foto, pois estava filmando com a câmera do Epá. Por isso, vou ter que detalhar no braço como funciona. Mas antes uma foto da família se preparando:

191

Família

195

A juventude em polvorosa!

Bom, os gregos se acham superiores. Devido a isso, ignoram todo esse papo de que somos iguais e qualquer tipo de zeitgeist. Ou seja, o que vale é o que eles definiram como certo desde o pré-cambriano e sequer discutem se isso deveria ser repensado. Como consequência, as mulheres são estrume para as tradições religiosas, pelo menos o que eu vi nesse batismo.

É simples, sequer há a figura da madrinha do bebê, e ninguém nem liga pra isso. A mãe é só um cocoon que gesta o bebê. No final do batismo é que o padre se “rebaixa” e dá uma benção à mulher, e ela de joelhos (o que não se exige de nenhum outro presente). Para a mãe da criança, que é sueca, deve ter sido um choque ver esse apego ao atraso. Mas rapidinho se entende, as religiões ou são paradas em termos de evolução humanista ou andam para trás mesmo.

Pois bem, começa o padrinho com a bebê no colo, o padre entra com aquela parada que solta fumaça, fica uns 30 minutos cantando em um dueto com outro cara, cujo emprego é esse, fazer dueto com o padre, claro que depois de devidamente emasculado.

194

Au diadorum opressorum

Aí o padrinho tem de recitar uns escritos em grego antigo, e o Epá o fez muito bem, todos comentaram. Tiraram a roupa do bebê, jogam óleo nela, cortaram o cabelo e deram um banho, tudo isso numa pia batismal que dá pra ver na foto acima. No fim de tudo isso ela fica assim:

217

Água, óleo e cabelo

Aí que eles colocam a roupinha nova nela. Na foto a seguir, dá pra ver ela deitada no colo do pai, e o Epá totalmente suado. Nesse dia devia estar fazendo cerca de 35º, e dentro da igreja devia estar cerca de 50º, um inferno.

211

A mãe tb assinou! Que milagre!

205

Também tirei uma foto!

Eles deram uns doces para comermos, putz, uma delícia! O Epá tb recebeu uma lembrança (é tipo uma garrafa estilizada), e todos recebemos um pequeno broche:

219

Gregos brasileiros africanos

226

Broche

De lá fomos jantar em um restaurante próximo ao aeroporto de lá. Mas isso fica para o próximo post.

Para finalizar, uma foto com a estrela do post e o padrinho:

340

Epá e a afilhada!

 

 

outubro 19, 2009

Visitando a afilhada!

Acordamos cedo e fomos visitar os familiares do Epá. Para não variar, o sol estava de rachar o cucuruto, mas tomamos coragem e partimos para mais uma volta pela ilha. Olha o ânimo do Pínakas:

Pínakas esperando o papai

Pínakas esperando o papai

Abandonamos isso aqui:

Gagou beach

Gagou beach

Encontramos o primo do Epá e toda a família. De lá fomos para o restaurante Kutsi, que fica sob um plátano gigante. Vou mostrar a foto de todo mundo depois.

Restaurante Kutsi - Samos

Restaurante Kutsi - Samos

Aqui a vista da entrada do restaurante. Na verdade é uma ladeira, que começa sob a placa da foto de cima.

Vista da entrada

Vista da entrada

Essa árvore do meio é a que estende sua copa sobre todo o restaurante. Apesar do sol, sob a árvore é tão fresquinho que chega a fazer frio quando bate uma brisa mais forte.

Pelo fato de ser uma encosta, creio que o ar está sempre em movimento ali, e ainda há um pequeno curso de água que foi surrupiado pelos donos do restaurante:

Fonte d'água

Fonte d'água

Essa água é uma delícia, e é tão gelada que até me doeram os dentes. Não, não é água de degelo, pq em Samos não há montanhas com picos gelados (o que não exclui a existência  de outras coisas com suas regiões geladas). Quando eu contar o passeio ao Pitagório vcs vão ver que coisas geladas abundam em Samos.

Almoçamos polvo e carne de porco. A comida estava ótima. Ficamos 2 horas lá. De novo eles conversaram sobre o Bóson de Higgs e sobre a conferência de Bretton Woods. Ou seja, não entendi nádegas. O fato de terem usado o grego como língua também contribuiu para isso.

Vamos lá, da esquerda para a direita, no sentido horário de relógio de ponteiros:

Foto de todos os almoçantes (exceto, claro, eu)

Foto de todos os almoçantes (exceto, claro, eu)

Epá, Anakreon, Irmã do Anakreon e mãe do Leonidas, que é o seguinte, a esposa dele com a filha (qual o nome delas mesmo?) e a irmã dela.

Esse Leonidas é primo do Epá. A mãe dele é essa da ponta da mesa, que é irmã do Anakreon (salvo engano). Ele casou com uma finlandesa e mora na Suécia, ou casou com uma Sueca e mora na Finlândia, vc escolhe.

A filha deles precisava ser batizada, e ele chamou o Epá para ser o padrinho. Preferiram fazer tudo em Samos pq é a ilha de toda a família, apesar de todos estarem morando em Atenas atualmente (exceto o casal, que mora na Noruega, como eu já havia dito).

Esse almoço foi mais para ser apenas um encontro mesmo, pois o batizado seria apenas no dia seguinte. Eles chegaram da casa deles na Dinamarca no dia anterior, então estavam meio cansados. Eles voltaram para casa (em Samos, não a da Suíça) para descansarem, pois o batizado seria no dia seguinte.

Como eu já disse, as moças são Tchecas. Falam tão bem o grego quanto eu. No inglês até conseguimos uma conversa razoável. Discutimos sobre o protocolo de Kyoto e sobre o mal de Minamata, até sermos interrompidos por fezes.

Elas trocaram a fralda da bebê, eu paguei a conta, quebrei os pratos, mijei no gato e fomos embora. Eles foram para a casa deles (em Samos, não a da Rússia) e eu, Epá e mr. Anakreon fomos dar outra volta pela ilha, e passamos por aqui:

Vista da pista

Vista da pista

É isso mesmo! Nada!

Foi o Anakreon que mandou eu tirar essa foto. Quando eu voltar lá eu entendo o porquê.

Demos uma rápida passada em uma praia, tomamos umas 40 cervejas, 12 usos e 3 metaxa:

Drogba

Drogba

No hotel, quando fomos jantar, vi uma mulher ao longe em contraste com o ocaso. Olha que legal:

Vista do restaurante do Gagou Hotel

Vista do restaurante do Gagou Hotel

20:31 de 3/7/2009

20:31 de 3/7/2009

Fomos dormir pq o dia seguinte seria o do batismo.

Náite!

« Newer PostsOlder Posts »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.